quarta-feira, abril 20, 2005

Certeza Interior

«Quem decide arrostar com o mar da vida tem de tornar-se um navegador; tem de aprender a defrontar-se com ventos e correntes, com leis e limites. Um Colombo não zomba das leis, alarga-as. Não se faz ao mar para alcançar um país imaginário. Descobre um mundo novo acidentalmente. E tais acidentes são os frutos legítimos do atrevimento; de um atrevimento que não é imprudência mas o produto de uma certeza interior.»

Henry Miller, O Tempo dos Assassinos
Ao Vitor, meu amigo.

3 comentários:

Vítor Leal Barros disse...

obrigado Rosa por me dedicares este texto tão bonito.... tentarei tornar-me num atrevido, ou atrevidote na melhor das hipóteses, a ver se descubro algum continente fantástico...

beijo grande

Vasco Macieira disse...

Henry Miller é um dos meus autores favoritos. Boa escolha para citação. É a certeza interior de que Miller fala no texto que faz o mundo avançar... quase por acaso (se acasos houvessem).

carlos disse...

Colombo aprendeu a ser atrevido e ganhou essa certeza interior depois de um estágio com os "marítimos" da Madeira e dos Açores .... não foi por acaso que ele cozinhou aqui o seu "Ovo".